Palestra Magna do 31º Encontro Internacional de Audiologia

A Teleaudiologia em 2020

Prof. Dr. Chao Lung Wen
Médico, professor associado e chefe da Disciplina de Telemedicina do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP

O advento, expansão e a popularização das tecnologias interativas nesta última década vêm colocando a disposição uma série de recursos computacionais, que embora muitas vezes, pouco compreendidas e ainda não muito exploradas na área da saúde, representam grandes potenciais. Entre eles estão a computação gráfica 3D, a realidade virtual/imersiva, as tecnologias de jogos e simuladores, sistema para interação a distância online (webconferências e por textos) e dispositivos de telediagnóstico baseados em dispositivos móveis, a inteligência artificial, redes sociais, plataformas educacionais, impressoras 3D entre outros. As tecnologias estão evoluindo em velocidade tão acelerada que é urgente familiarizar-se com os recursos, formar grupos acadêmicos para sistematizar do seu uso de forma eficiente e ético para tanto para fins educacionais, assistenciais ou de promoção de saúde, bem o estudo de incorporação no currículo da graduação para a que as instituições de ensino possam formar profissionais para o cenário tecnológico de 2020. A partir deste ano, provavelmente ocorrerão mudanças no mundo da tecnologia em decorrência da incorporação das tecnologias eletrônicas baseadas em grafeno, início do telefone celular 5G, expansão do uso de impressoras 3D e aumento do uso da realidade virtual.

Nesta última década, entre os recursos que mais se popularizaram foram Smartphones e os Tablets. Eles representam a tendência de consolidação dos sistemas computacionais pessoais móveis, com dispositivos computacionais móveis e “semi inteligentes” para as interatividades online, o que possibilitará uma série de atividades profissionais de teleassistência, telediagnóstico, telemonitoramento e personal care. Atualmente, a Telemedicina e Telessaúde já se mostram como importantes meios que podem oferecer ampla facilidades para fins de educação, assistência e pesquisa a distância na saúde.

A organização e disponibilização de atividades nos diversos centros universitários, por meio de recursos de Telemedicina/ Telessaúde, vêm mostrando que esta área representa muito mais do que o simples aspecto tecnológico. Ela é, na verdade, uma otimização de serviços e processos, gerando a “convergência” entre soluções tecnológicas e serviços profissiopnais de qualidade para viabilizar atividades multi-institucionais.

A formação de uma rede colaborativa de instituições possibilitará criar programas eficientes de educação (Educação conectada Interativa a distância). Quando associada com serviços de teleassistência (interconsulta, telacompanhamento, 2ª opinião formativa e telediagnóstico), a teletecnologia facilitará a contextualização das capacitações, de forma dirigida às necessidades práticas e, organização de redes assistências de qualidade, criando serviços complementares de apoio a semelhança do que o Internet Banking são para os Bancos ou Webchecking e compras de passagem por Internet são para as companhias aéreas.

Acesse também:

Comentários encerrados.